terça-feira, 20 de novembro de 2007

Morte de Dona Reunião de Oração

Faleceu, na Igreja dos Negligentes e Frios na Fé, dona "Reunião de Oração", que já estava enferma desde os primeiros séculos da era cristã. Foi proprietária de grandes avivamentos bíblicos e de grande poder e influência no passado.

Os médicos constataram que sua doença foi motivada pela "frieza de coração e falta de vigilias". Constataram ainda: "dureza de coração e de joelhos"; os quais não se dobravam mais. Ainda diagnosticaram "fraqueza de ânimo" e muita "falta de tempo e de boa vontade".

A Dona Reunião de Oração foi medicada, mas erroneamente, pois lhe deram doses em grande quantidade de medicamentos errados, tais como: "reunião de louvor sem clamor e cansaço para buscar de madrugada", mudando-lhe o regime, mas isso não adiantou de nada.

Deram-lhe também "xarope de reuniões sociais" o qual a sufocou.

Ainda medicaram injeções regulares de "competições esportivas", o que provocou má circulação nas veias das amizades e artérias dos relacionamentos, provocando alguns males da carne tais como: "rivalidades e ciúmes", principalmente, entre os jovens.

Administraram-lhe muitos tabletes de "acampamentos" , e comprimidos de "clubes de campos", durante os quais ela deveria ficar de repouso, sem participar dos mesmos. Deram-lhe também para tomar muitas cápsulas de "gincana bíblica", mas apenas para lhe diminuir as dores da morte.

Resultado: Morreu Dona "Reunião de Oração!" A autópsia revelou: falta de alimentação apropriada com "O Pão da Vida", carência urgentíssima de líquido santo ("A Água Viva"), ausência quase total de limpeza e eliminação dos males que estavam em seu corpo através de "choro e lágrimas de arrependimento e falta de vigília na igreja".

Dona Reunião de Oração freqüentava a Igreja dos Negligentes, situada à Rua do Mundanismo, número 666. Após a morte da Dona Reunião de oração, a liderança da Igreja dos Negligentes resolveu eliminar quaisquer cultos de orações. Resolveu também que haverá cultos somente três vezes por semana, assim mesmo quando não houver feriados prolongados nos finais de semana, pois seus membros darão prioridade às suas agendas pessoais. Ao final de contas, Dona Reunião de Oração, já não existe mais para "importuná-los" .
Autor: "Desconhecido"
Nota do autor do blog:

Infelizmente, somos obrigados, sim, a concordar com este artigo.
A oração tem sido negligenciada nas igrejas e quando se cobra mais um pouquinho do povo, como forma de ajudá-lo a estar mais em comunhão com Deus, surge a frase: "Lá vem o santarrão". Desconhecem, esses, o que diz a Palavra do Senhor: sede santo porque eu Sou Santo. Precisamos resgatar a prática da oração sem cessar - na igreja, em casa, no trabalho, no ônibus. Em qualquer lugar e, em espírito e em verdade.

Pr. Gomes Silva

CONSCIÊNCIA MINISTERIAL: UM EXÉRCÍCIO DIÁRIO DO LÍDER

Pr. Gomes Silva

Antes de falarmos sobre o tema acima citado, nada mais conveniente do que mostrar a definição de “consciência” na concepção filosófica e teológica.

Filosoficamente, “consciência”, em síntese, é a faculdade que o homem tem de julgar o valor moral dos seus atos (Dicionário de Filosofia).

Quanto à teologia, “consciência” é uma palavra derivada do latim conscientia, que é um composto da preposição con e scio, que significa “saber junto”, “conhecimento conjunto com outros”, “o conhecimento que compartilhamos com outra pessoa”. E ainda: a consciência é a faculdade mediante a qual a pessoa distingue ente o moralmente certo e errado, e que a impulsiona a praticar aquilo que reconhece ser certo, refreando-a de fazer aquilo que é errado, e que pronuncia julgamento sobre seus atos, executando-o dentro da sua alma (cf. Enciclopédia Histórico-Teológica da Igreja Cristã).

Consciência é o que todo líder precisa ter na sua caminhada diária como ministro do evangelho, eleito pelo Senhor dos senhores: Jesus Cristo para cuidar de Seu rebanho, enquanto a Igreja Santa e Imaculada não for tirada da terra.

O líder precisa inicialmente ter consciência de sua chamada, consciência do seu papel; consciência do trabalho a ser feito para manter o rebanho no rumo certo. Mas, para isto, ter consciência dos desafios que terá para lidar com ovelhas e os bodes cabeçudos.

Antes de continuar tenho que ser honesto, afirmando que não existe nenhum pastor (líder) perfeito. Mas precisamos ter consciência da responsabilidade que temos na condução do rebanho do Perfeito: Jesus Cristo.

Fico a lamentar quando vejo alguns amados vestindo roupa de pastor, que não foi feita para ele. E cujas atitudes me dizem que tal pessoa anda na contramão dos mandamentos de Cristo – João 21:15-17.

Jesus Cristo, que foi o maior líder e o maior formador de líderes da história, perdoou Pedro de suas três negativas e ainda incumbiu a pastorear suas ovelhas. E depois, o próprio Pedro, semelhantemente, convocou os líderes cristãos a exercer o ministério não contra a vontade ou por ganância, nem como um meio de dominador outras pessoas, mas sim, liderar pelo exemplo e ser recompensados pelo sumo Pastor (1 Pedro 5:1-4).

Em Mateus 20:25-28, Jesus Cristo revolucionou o conceito de liderança, quando mostrou aos discípulos que o líder cristão é um servo (Mateus 23:11). Não sabemos se entre os seguidores de Cristo, que ali estavam, existia algum que almejava status, riqueza, poder..., contudo sei que, se lá estivessem alguns dos nossos contemporâneos, certamente teriam ficado surpresos e decepcionados com tais declarações de Jesus, já que muitos pastores desconhecem o texto de Filipenses 2:5-11.

O homem, antes de pensar em ser um pastor, precisa ter consciência do seu chamado. Porque, certo disso, (e isso é obvio!) ele buscará conhecimento bíblico-teológico para exercer bem o seu ministério. Todavia, deverá buscar, ainda, nos pastores mais experientes, conselhos que lhes ajudarão a lidar melhor com o rebanho do Senhor.

Infelizmente – digo isto com muita tristeza -, existem muitos líderes espirituais que se consideram sábios o suficiente para não buscar essas ajudas e, na maioria das vezes, tomam decisões erradas, esdrúxulas, arrogantes e com instinto de perversidade, maldade etc. E ai daqueles que tentarem ajuda-los. Mas a Palavra de Deus nos alerta (Jeremias 23:1-4). Como sabemos, pastorear, qualquer pessoa pode fazer. Até mesmo um cachorro pode aprender a guardar um rebanho de ovelhas. A diferença estar em como lidar em cada situação, empecilho e desafios que surgem na caminhada, o que muitos ignoram.

A esses, faço as minhas palavras as de John MacArthur, Jr. Segundo ele, “pastorear um rebanho espiritual não é tão simples. É preciso ser mais que um caipira errante para ser pastor espiritual. Os padrões são altos, as exigências, difíceis de satisfazer (1 Tm 3:1-7). Nem todos conseguem unir as qualidades, e, mesmo dentre os que as juntam, poucos parecem se destacar na tarefa. O pastoreio espiritual exige um homem íntegro, piedoso, dotado de muitas habilidades. Ainda assim, ele deve manter a atitude e a postura de um menino pastor” (em Redescobrindo o Ministério Pastoral).

E por que tudo isto acima citado?

O que me levou a escrever este artigo “Consciência Ministerial: um exercício diário do líder” são os maus exemplos, vistos hoje em dia sendo praticados por muitos que estão na responsabilidade de conduzir bem o rebanho de Cristo.

Exemplos: Quando uma ovelha deixa de ir à igreja, cabe ao pastor procura-la para saber o que está acontecendo, mas têm líderes dizendo que a ovelha é que deve procura-los para dar explicação; quando uma ovelha está amuada e quase não fala com ninguém, alguém precisa fazer alguma coisa e esse alguém é o pastor. Se uma ovelha adoece, o pastor tem que visitá-la. Já vi caso de uma pessoa procurar o pastor para pedir uma orientação a respeito de tal fato e receber como resposta: tenho outras coisas mais importantes a fazer. Ta brincando!? Outros têm deixado a igreja sem doutrina, sem instrução, sem nada. E quando as ovelhas procuram uma boa alimentação em outros pastos verdejantes são perseguidas e colocadas de lado e esquecidas como se não fossem nada. Eles precisam ter consciência de que estão agindo de forma errada.

Nós pastores precisamos ter consciência de vários detalhes: o líder (pastor) deve cuidar do rebanho com amor, alimentar, conduzir, auxiliar, guiar, guardar, proteger e buscar as ovelhas perdidas. Temos que ser humildes para reconhecer nossos erros, saber que o bode precisa de rigor, mas reconhecendo que o rebanho não é só composto por bodes. Existem as ovelhas que precisam de cuidados especiais ou de um puxão de orelhas, simbolicamente falando, para voltar ao rumo certo e às práticas dos ensinamentos recebidos baseados na Bíblia.

Precisamos ainda ter consciência de que, na condição de pastor, não somos donos das ovelhas. Devemos cuidar delas sabendo que vamos prestar contas ao Senhor (1 Pedro 5:2-4; Hebreus 13:7 e 17).

(Abro esse parêntese para dizer que já fiz muita besteira como ovelha e como pastor; cometi muitos erros, mas nunca tentei tapar o sol com peneira; e sempre busquei ajuda de outros pastores – e até de ovelhas. E Por que não? -, com os quais aprendi muito. E isso não é demérito pra ninguém, e sim uma forma de melhorar o trabalho na Obra do Senhor, que deve ser feita com excelência mesmo com nossas deficiências).

Deixo alguns conselhos aos que acham que pode pastorear o rebanho do Senhor de qualquer jeito. Sirvam as ovelhas da mesma forma como gostaria que Deus lhes servisse; amem-nas da mesma maneira como gostariam de ser amados por elas. Contudo, não esqueçam de serem íntegros e exemplos para as ovelhas na Palavra, no procedimento, no amor, na fé e na pureza (1 Timóteo 4:12 e 16) e sempre respeitando o direito dos outros.

Pare! Reflita o seu ministério. Veja-o com os olhos espirituais, e Deus vai te honrar a partir do momento que você reconhecer seus erros e acertos e pedir perdão pela negligência – se for o caso (Jeremias 48:10) e clamar por orientação e firmeza na condução das ovelhas.
Seja humilde, consciente e confiante!

AVIVAMENTO COMEÇA PELA MUDANÇA DE MENTALIDADE

Pr. Gomes Silva*

Fala-se muito no crescimento da igreja evangélica brasileira nos últimos anos. Até dizem que o País está passando por um grande avivamento. Mas até que ponto esse crescimento é sadio e condizente com as exigências da Palavra de Deus, e esse avivamento é realmente bíblico? (vale a pena meditar em Hebreus 12:14-17). As dúvidas não pairam quando se ver enormes ajuntamentos de pessoas dentro de igrejas ou locais públicos, até, porém sem nenhuma demonstração de um novo nascimento (João 3:3-7).

Antes de outras considerações, deixo claro que a Bíblia me dá o direito de julgar, sim! O que ela não me dá é o direito de julgar pelo pressentimento, pela aparência e pelo repúdio a alguém. Disse Jesus: “Pelos seus frutos os conhecereis” – Mateus 7:20. E para não deixar dúvida, Cristo fala ainda em Mateus 12:33: “porque pelo fruto se conhece a árvore”.

E o que temos visto por aí? Igrejas superlotadas, muita animação (boa “dose” de carne em contraponto à espiritualidade) e uma alegria que não reflete o trabalhar do Espírito Santo. Mas tudo isto em nome do avivamento.

Na minha modesta observação, avivamento nada mais é do que, resumidamente, espiritualidade cultivada na vida pessoal, como convicção de pecado, confissão de pecados, entrega e consagração, tudo isto marcado pela leitura da palavra, oração, vida humilde e santificação (Atos 3:19; 2 Crônicas 7:14-15; Josué 1:7-8; Jeremias 29:13-14a; 1 Tessalonicenses 5:23; Hebreus 12:14; 1 Pedro 1:16).
Só que, lamentavelmente, o que se vê, hoje, são pessoas que, mesmo há tempo na igreja, vivem uma vida como se nunca tivessem tido um novo nascimento. Suas atitudes denunciam a superficialidade de sua vida cristã e a falta de conscientização quanto ao seu futuro, caso continuem com tais procedimentos.
Vimos ainda pessoas que vivem doentes dentro da igreja, quando, na realidade, deveriam estar curadas pelo Poder transformador da palavra e pela regeneração pelo Espírito Santo (Tito 3:5). Mas quais são essas doenças que “invadiram” as igrejas? Ódio, perversidade, calúnia, caráter deformado, inveja, mentira... Temos visto pessoas (lembre-se: não são todas!) que não vão ao culto ou ao estudo porque é fulano ou cicrano que vai estar lá pregando ou ensinando.

Outros dizem: Não vou com a cara do líder tal; não consigo olhar para aquela pessoa; ah, aquele irmão passa muito tempo na mensagem (às vezes 30, 20 minutos quando se foram quase duas horas com louvor), conversa demais (para quem não presta atenção à mensagem), fala auto demais, fala baixo demais. São enfermidades curáveis, mas os doentes não seguem a “orientação” médica. Não se sabe, no entanto, qual é a desses que querem uma igreja que se adapte ao seu estilo de vida e não o contrário (O cristão é para influenciar o mundo, ganhando-o para Deus, e não sendo influenciado por ele), sem falar nos “intocáveis”. Diga-me uma coisa: essas pessoas nasceram de novo?

Aliás, os doentes sempre saem com essa “pérola”: não julgue para não ser julgado. Eles têm todo o direito de fazerem o que bem quiserem e ninguém pode dizer nada? Nada disso. Pra que exortação e disciplina na igreja? Para consertar os tortos e curar os doentes. Mas eles não querem. Não aceitam correção.

Sei não. Mas daqui a pouco, boa parte das igrejas será obrigada a montar consultórios de psicologia e contratar bons profissionais e incumbi-los de transformar os maus caracteres que estão murmurando - sentados nos bancos -, ou criando problemas nos mais diversos setores da comunidade da qual fazem parte. Tem algumas coisas que a psicologia ajuda mudar, mas nada que se compare à Palavra do Altíssimo: “Porque a Palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração” – Hebreus 4:12.

Posso estar errado, mas a julgar pelos frutos, muitas árvores estão prontas para serem cortadas e lançadas ao fogo, apesar dos apelos para que se espere um novo “inverno”.

Mas uma coisa é certa - a igreja precisa conservar seu dinamismo, buscar e pregar a fonte que gera o avivamento e cura aos pacientes: a Palavra de Deus (1 Timóteo 4:16). Com isso, vai estar apta a levar a mensagem do evangelho àqueles que estão longe dos caminhos de Deus.

Campina Grande, setembro de 2006.

GOMES SILVA - É jornalista e pastor da Igreja Batista Independente Getsêmani, em Campina Grande-PB.

O CARÁTER DE UM LÍDER

Pr. Carlos Alberto Bezerra

Como deve ser o caráter de líder chamada por Deus?Diligente – Mt. 25:14-30; 2 Tm. 4:2.O líder cristão deve ser uma pessoa dotada da vontade de trabalhar. Deve ser diligente no serviço que presta ao Reino.

Estável – Mt. 16:13-23; Mc. 14:66-68.A estabilidade é outra das qualidades que se deve encontrar na vida de todo líder. Infelizmente muitos cristãos são extremamente inconstantes. O seu humor se altera com as condições atmosféricas. Não se pode depender deles. Suas intenções são boas, mas, em vista de serem emocionalmente instáveis, freqüentemente perdem o equilíbrio.

Amor – Mc. 10:45; Jo. 10:10.O amor aos irmãos é um elemento essencial na vida de todo líder, mas não menos essencial é o amor por toda humanidade. O interesse por toda a raça humana é o requisito básico de todo líder, e não o interesse por certo segmento da mesma. Deus amou o mundo (Jo. 3:16). Seu amor abarcou a todos os homens, e assim também deve ser o nosso amor. Não devemos limitar o interesse a seus filhos tão somente, nem a qualquer outra classe particular de homens, mas devemos estender nosso amor a todos (Mt. 5:44-48).

Ouvinte – Pv. 21:13.Qualquer indivíduo que queira servir ao Senhor deve adquirir o hábito de ouvir o que os outros dizem, e não ouvir de maneira casual, e, sim, ouvir com atenção, com objetivo de prestar atenção e de compreender o que lhe foi dito para poder descobrir o que na realidade consiste o núcleo do problema, mesmo não falado abertamente.

Comedido – Mt. 5:37; Is. 50:4.Por falta de comedimento nas palavras, é seriamente cerceada a utilidade de muitos líderes. Em lugar de serem instrumentos poderosos no serviço do Senhor, o seu ministério produz pouco efeito, devido ao constante desgaste de poder, gerado pelo seu falar descuidado e sem nenhuma cautela.

Objetivo – Sl. 32:8-9.A subjetividade é outro dos defeitos do caráter do líder, o que produz um efeito adverso em seu trabalho. Vemos em Gênesis 22:1-13, que Abraão faz a vontade do Pai com um único objetivo (Jo. 5:34).

Ainda há esperança para teu futuro

*Pr. Gomes Silva

Agradecemos a Deus por este momento em podermos compartilhar a palavra de Deus. Sei que ela será de grande valia e que, pode estar, aqui, começando uma nova história na sua vida, principalmente se ainda não decidistes abandonar o velho mundo (o mundo do pecado) e aceitar Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador.

Nosso objetivo, como está explícito, é alcançá-lo com a Palavra de Deus, contida na Bíblia Sagrada. Talvez você esteja dizendo: “Eu já tenho Deus”, “não preciso disso”, ou “nessa lei eu nasci e nessa lei vou morrer”, como costumavam dizer os que acreditavam em estórias infundadas, criadas no clã imperial romano.

Se você já tem Deus, obviamente precisa conhecê-lo melhor. Mas para conhecer a Deus, só através da Palavra Dele, escrita na Bíblia. Se você é daqueles que dizem que não precisa ouvir a palavra, saiba que Deus é amor e tem te amado e lhe dado muitos livramentos, inclusive de morte.

Porém, Ele está te esperando com um coração brando para te dar a paz que estás precisando; o sorriso que desapareceu dos seus lábios; e a boa companhia de um grande amigo: Jesus Cristo.
Mas, se você é um daqueles que dizem que vão morrer na lei que nasceu, infelizmente, Deus nada pode fazer por você. Ele faz, sim, quando há permissão da parte do ser humano, que tem o livre arbítrio para seguir ou não o que manda as Escrituras.

E para seguir a Cristo e garantir um lugar na glória celestial, você precisa sair dessa lei, firmada no pecado desde seus primeiros passos de vida. Não tenha medo de vir para os braços de Jesus Cristo, pois ele mesmo diz: “Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei” – Mateus 11:28.

Não tenha medo de vir para Jesus. Hoje, muitas pessoas deixam de conquistar grandes feitos justamente por causa do medo de errar, medo de não vencer na vida profissional etc. Não tenha medo de ser feliz ao lado de Jesus Cristo.

Diga não à lei em que nasceu; ela vai te prejudicar, levando-o para o lugar destinado àqueles que acham que o mundo acaba aqui mesmo e que não precisa conhecer o nosso Deus ou seguir seus mandamentos.

Ainda há tempo para você ser feliz; caminhe pelos caminhos da vida, porém, iluminado pela luz do mundo: Jesus Cristo. Saiba: Ainda há esperança para o teu futuro – Jeremias 31:17.


* Jornalista e Pastor da Igreja Batista Independente Em Parnaíba-PI.
Fonte: http://www.conscienciacrista.org.br/ / http://www.igrejabatistapi.blogspot.com/

PR. GOMES SILVA - EM SUA IGREJA

Há oito anos pesquisando e exercendo a função de liderança eclesiástica há seis, o pastor Gomes Silva (foto) sentiu as dificuldades porque passam muitos líderes para se aperfeiçoarem no ministério quanto ao lidar com o rebanho. Por isso, caloca-se à disposição para ajudá-los a vislumbrarem dias melhores.

Vejas temas de palestas do pastor Gomes Silva:

Nossa identidade com Cristo.
Resolvendo conflitos no ministério
Liderança conforme Jesus: uma necessidade da igreja
Por que os líderes não delegam?
Feliz o líder que se espelha em Cristo
Desafios na vida do pastor na Pós-Modernidade
Por que muitos não terminam bem?
Prisioneiros de Cristo: a vocação do pastor
Líder: Como cuidar bem de si, da família e da igreja?
Paulo: uma referência para os pregadores do evangelho
Ética na transição ministerial: respeito mútuo
O que fazer para recuperar a confiança do rebanho?
Integridade: marca essencial na vida do líder
Líder ou chefe: Quais as diferenças na igreja?
Princípios de Liderança Servidora
Motivação X Motivadores: Que benefícios há para a igreja?
Século 21: Quais os desafios para o pastor liderar a igreja de Cristo?
Isolamento e seus reflexos na vida do líder
As marcas da incompreensão ao líder cristão

Para nos convidar para está na sua igreja é muito fácil:

E-mail:
pr.gomessilvapi@gmail.com
MSN:
pr_gomessilva@gmail.com.br

ALBUM DE FOTOS

VEJA ESTAS FOTOS

http://pr.gomessilva.nafoto.net/

A Fonte Inesgotável

Pr. Airton Evangelista da Costa

Bela e indomávelFulgurante e esplendorosaComo és dadivosa, filha da Natureza!És diáfana e vaporosa!Não se fartam meus olhosDe ver tua dança álacreDonde tiras tanto vigor?Qual o segredo de tanta energia?De qualquer ângulo, és bela!Lindo ver-te cingida pelo arco-íris!Que envolve teu corpo irrequieto!Teu vestido longo é presente de DeusTua voz, voz de muitas águasComo anseio subir nos teus braços!Como desejo beijar tua fronte!Como desejo adormecer no teu canto!Mas quem te alimenta dia e noite?- Não está em mim a minha realeza- Vem, sobe, vou revelar meu segredo- Veja! É esse o rio que me alimenta- Ele me sustenta, me fortalece- Vem dele a minha formosura- Ele é a minha VidaÓ doce cachoeira! Amiga minha!Como são parecidos nossos caminhos!Também tenho minha Fonte InesgotávelSacio minha sede em águas cristalinasRios de água viva fluem de mim...

A Prática Pastoral na teologia petrina IACA

A Prática Pastoral na teologia petrina IACA
1 Pedro 5:1-3
Christopher Marques

(...)No nosso sistema governamental de sociedade, o capitalismo impera fortemente. O que mais me entristece é que esta forma de vida corrompeu a vida do ministro do evangelho. Não existe mais a preocupação do cuidado pelo rebanho. Vejamos bem, não estou generalizando, mas a grande maioria perdeu o sentido para o qual foi salvo e chamado pelo Senhor da Igreja. É perceptível que, no decorrer do tempo, o pastor que não busca uma fonte de abastecimento para o seu ministério poderá se frustrar ou desanimar. Lembra as Escrituras que o pastor é chamado para cuidar, zelar, velar e, muitas vezes, animar o seu rebanho.

Há uma espécie de pastor na atual história ministerial que não é encontrada nas Escrituras. Pastores mandões, quando são contrariados ficam enfurecidos, não gostam de ouvir sugestões, são os verdadeiros sabichões de tudo. Existem aqueles que oprimem o rebanho, causam ciúmes ao próprio diabo, escravizam o povo com fábulas, mentiras engenhosas; levam o medo com suas palavras, pregam o que a Bíblia não diz e fazem as ovelhas viverem como legalistas. Há aqueles que não sabem se relacionar, pensam que a comunhão com os irmãos da igreja irá prejudicar o seu ministério, eles têm necessidade de se manterem longe das pessoas para terem uma posição de santos, o que na verdade não são. E o hipócrita, que prega e não vive o que prega, é pior que os políticos do nosso governo, se tornaram tagarelas, mas as suas mensagens não causam nenhum impacto, porque a sua vida não condiz com sua pregação.

É clara a exortação que Pedro faz – o pastor deve pastorear o rebanho de Deus. E isso não pode ser exercido com má vontade ou por obrigação, mas de livre vontade – “eksios” no grego, com prazer e alegria. O apóstolo Pedro não ordena, exorta. Não reivindica poder de governo sobre todos os pastores e igrejas. A honra particular de Pedro – e de outros poucos – era ser testemunha dos sofrimentos de Cristo; porém, é privilégio de todo crente verdadeiro participar da glória que há de ser revelada...

Leia mais sobre este artigo

PROCURA-SE UM HONESTO

Eliakim Araújo

Todo mundo sabe que a corrupção não é um fato novo nesse nosso Brasil varonil. Ao contrário, dizem que ela vem desde (e com) a chegada dos colonizadores portugueses.

Há quem acredite que não tem mais jeito, pois a corrupção está irremediavelmente impregnada nos corações e mentes dos brasileiros, educados desde a mais tenra idade a serem mais espertos e procurarem levar vantagem em tudo.

Nessa febre de denúncias de corrupção que assola o país, ocorreu-me a idéia de se criar uma campanha que poderia se chamar "procura-se um honesto". Com certeza muita gente morreria de rir e diria: "é mais fácil encontrar uma agulha no palheiro".

A idéia não é nova. Vem de uma piada que os opositores do regime militar espalhavam. Diz a anedota que os chefes militares, preocupados com as denúncias de corrupção nos governos de seus colegas de farda, sobretudo durante o período Médici (30/10/69 a 15/03/74), nos ministérios encarregados de obras públicas, teriam criado uma comissão de alto nível para descobrir um honesto dentro das forças armadas. Um mês depois, desanimados, os membros da comissão voltaram com a resposta: "não encontramos nenhum honesto, mas encontramos um Ernesto". E foi assim que o general Ernesto Geisel teria chegado à presidência da república.
Se havia corrupção ou não nos governos militares, não se sabe. Impossível não é, mas nunca vai se saber ao certo como, quanto e quando ela aconteceu, pois na época a imprensa estava amordaçada e a maioria dos personagens acusados já está morta.

De toda forma, a piada vale para os dias que correm, diante dessa pletora de denúncias, desse prende e solta que virou rotina e deixa o cidadão tonto, sem saber o que existe de real e o que é pirotecnia. Embora seja impossível não reconhecer que nunca, em governo algum, a Polícia Federal e o Ministério Público atuaram com tanta firmeza no combate aos crimes contra o patrimônio público. E não têm livrado a cara de peixes graúdos, como empresários, políticos, juízes, advogados, lobistas, etc.

Mas o cidadão comum quer entender o que se passa verdadeiramente. Afinal, é o dinheiro dele que paga toda essa gente: o pessoal da PF, os funcionários do poder judiciário, os parlamentares, etc. O raciocínio é muito simples: se a PF oferece uma denúncia pública contra determinado grupo de políticos e empresários e a justiça manda soltar a todos, ou a polícia cometeu um grave erro de investigação ou a justiça está protegendo os acusados.

Turminha esperta que enquanto se fecha em torno de seu presidente aumenta o próprio salário em 28,5%, com cláusula de retroatividade a primeiro de abril. Ou seja, ainda pegam dois meses de atrasados. Que farra, hein?

E aí, leitor (a), você vai aderir à campanha “procura-se um honesto?” O perigo é encontrar-se outro Ernesto.

LEIA ESTE ARTIGO COMPLETO

GOVERNO LULA APOIA O MOVIMENTO HOMOSSEXUAL

ESSA É PARA NÃO ACREDITAR

O governo de Luiz Inácio Lula da Silva vem lutando arduamente para que seja aprovado no Congresso Nacional a Lei de Discriminação contra os homossexuais e o aborto no Brasil. É de não acreditar quando se luta pela vida e pela liberdade de expressão, ou seja, o direito de opinar sobre qualquer assunto que venha à tona.
Em Campina Grande, a Visão Nacional Para a Consciência Cristã lançou a campanha em prol da família. A TV Paraíba, afiliada da Rede Globo, fez uma entrevista com o presidente da entidade, pastor Euder Faber. Na mesma reportagem foi ouvido também Francisco Cleiber, representante do Movimento Sexual em Campina Grande, e disse que o movimento é forte em nível nacional uma vez que tem o apoio do Governo Federal.


ESSA É UMA POUCA VERGONHA DO GOVERNO LULA