sexta-feira, 11 de abril de 2008

Coluna: Queria estar em Picuí

ALEGRIA GERAL EM PICUÍ
Estou longe da nossa querida Picuí, porém continuo bem informado sobre o que acontece ali, graças as minhas fontes.
Queria estar, sim, nesse momento na minha terra natal para contemplar a felicidade que toma conta da população, graças as chuvas que vêm caindo em solo picuiense, que já foram suficientes para fazer o Açude de Picuí sangrar. Há quase 30 anos isto não acontecia. Esse açude, o primeiro a abastecer a cidade, fica localizado na entrada da cidade (ou, como queira, na saída para Baraúna), mais precisamente no bairro Limeira (O antigo berra bode).

EX-PREFEITO ÀS LÁGRIMAS
Fui informado que o ex-prefeito da cidade no início da década de 60, José Mariano da Silva, hoje residindo no bairro Catolé, em Campina Grande-PB, chorou ao ser informado que o Açude Picuí havia sangrado.

AÇUDE DE CARAIBEIRA
Esse reservatório d’água, responsável pelo abastamento da Picuí por muitos anos e de quase dez cidade do Curimataú no período da estiagem, estava numa situação difícil, mas Deus fez com que ele sangrasse nessas chuvas, levando água para o Açude de Serraria, responsável, hoje, pelo abastecimento da cidade.
Aliás, por falar no açude de Serraria fui informado que ele já recebeu, até domingo último, seis metros d’água na parece, o que representa alívio para os picuienses, que terão água garantida nas torneiras pelo menos por mais uns seis a oitos anos, conforme minhas previsões.

COMO QUERIA ESTAR LÁ...
...
Para ver o prefeito Rubem Germano, Dumas Mahomed, João Bilhete e dona Josefa(meus queridos pais), Joaquim Vidal, João e Ilda (do bar), Severino Gomes, Fenelon Luz, Ednaldo Lúcio, João Vidal, Pedro Nicácio, Zé Baldo e sua esposa Neném; Zé de Berto, Lili, Amorim Guarda, Severino Estrela, Antônio Henrique (poeta), e mais outros bons amigos, como Francisco Araújo, J. Tavares, Jair Gomes, Zé Guarda, Itamar Luz (Pastor Nito), Edinho, Afonso Neves, e essa turma mais jovem da cidade felizes, se abraçando, relembrando os tempos idos em que Rio do Pedro descia com grande volume d’água, atingindo o teto da ponte.

PRESENTE PELA IMAGINAÇÃO
Imagino aquelas pessoas alegres em cima da ponte; alguns pulando nas águas, outros dizendo: há quantos anos não víamos isto em Picuí; a turma do esporte afirmando: “eita, aqui a gente jogava bola, lembrando os inúmeros torneios ali realizados”. Talvez, à época, muitos deles jamais pensando que um dia contemplariam aquele rio como está hoje.
Imagino também meus irmãos em Cristo Jesus nos cultos em suas igrejas agradecendo a Deus pelas chuvas que trouxeram muitas esperanças para o homem do campo. E para o da cidade também.
Obrigado, Senhor, pelas bênçãos direcionadas ao povo da minha terra!

Gomes Silva é jornalista e pastor evangélico da Igreja Batista Independente em Parnaíba-PI